COMPARTILHAR

Nesse quesito, minha vida foi uma busca. Dizia que não após muitas tentativas de fazer dar certo e sentir a frustração subir até a garganta para depois ser engolida novamente. Havia me declarado deficiente em ter e manter bons amigos. Ninguém me ensinou e só eu não aprendi que se dizer amigo de alguém automaticamente o transforma em um artista, psicólogo, pai, mãe, médico, ombro, colo, ouvidos e coração do outro. Respondia com a mais preguiçosa e preconceituosa resposta de que os homens eram os únicos que me relacionava bem pois “as mulheres são falsas e histéricas”.

Tinha essa amiga que na adolescência chamava de “a melhor”. A acompanhava até a porta de sua casa e depois caminhava 3 quilômetros até a minha. Cansei de, todas as formas possíveis, demonstrar o quão estimada era sua companhia pra mim na fase que saía da pré-adolescência e começava a descobrir o mundo mas quando a cobrava sobre qualquer tipo de correspondência, ouvia que ela não estava muito “aí” pra isso. Gostava de que gostassem dela mas estranhamente cagava para os outros. Teve também a que fez de tudo por mim mas acabou se apaixonando e eu, jovem burra e religiosa, a afastei por medo. Sinto sua falta até hoje.

Fato é que TODO MUNDO é BABACA. Se erraram comigo, errei o dobro em lhes julgar, dar pesos diferentes e insistir nessa busca de encontrar o bom amigo que, na verdade, deveria começar em mim. Devo desculpas a muita gente mas a vida segue só pra frente e com cada decepção recebida ou causada só me restam as lições.

E foi alí, no bairro da Chacarita, numa noite de sono tardio, que me lembrei de agradecer por elas. Me sinto curada a ponto de enxergar novos caminhos e conhecimentos sobre amizades. Me hospedei na casa de um casal que tinha visto antes apenas uma vez na vida. Passeei, festejei e compartilhei minha vida com pessoas que não conhecia e foi maravilhoso ter feito isso! Entendi que acredito realmente em almas que se ligam e elas independem de esforço desmedido.

Agradeço com poucas palavras mas inundada de emoção aos amigos de alma que a vida me deu. Que eu seja pra vocês o que tem sido pra mim: artistas, psicólogos, pais, mães, médicos, ombros, colos, ouvidos e corações. Obrigada, Paula, Túlio, Henderson, Naty, Lori, Joana, Débora, Jéssica, Luiza, Diego, Higor, Márjore, Chu, Erika, Bruno, Rodrigo, Thiago, Talita, Kk, Jade, Thaís, Mi, Sara, Ana, Mila, Camila, Jaime, Grace, Mah, Simone, Vívien, Sergio, Clarisse e a tooodos os mais próximos e um pouco mais distantes. Sou inteira pois cada um de vocês carrega um pouco de mim.

Obrigada!