COMPARTILHAR

Cabem muitas Sammias dentro de mim. A que ensina, a que aprende, a que questiona e a que aceita desconfiada. Tem aquela que ama e aquela que se esforça para perdoar. Há também aquela que não consegue mais se calar e tem muitas histórias para contar. Para esta, representante de todas as outras, dei voz neste espaço.

Muito de mim já não cabe em meu trabalho e eu gostaria de compartilhar esse tanto que é tão pouco mas não pode ser desprezado. A vida de todo mundo daria um livro e nenhum deles deveria deixar de ser escrito. Somos feitos de histórias e não há histórias ruins. Só existem contos não contados seja por “falta de tempo”, medo ou ausência de espaço.

Empondero minha voz pedindo licença para falar como multidão pois carrego no peito um bairro, uma cidade e uma nação. Carrego todos os gêneros, todos os credos, raças, lutas, felicidades e desgraças e nenhuma precisa deixar de ser contada.

Daqui pra frente só pra mim, só pra você ou para quem mais embarcar, libero essas histórias de dentro do peito. De peito aberto o faço pronta para ser responsável por cada palavra mas não por suas consequências pois cada um é um oceano de sentimentos confusos, diferentes e profundos.

 

COMPARTILHAR
Próximo postPedaços de Mim